Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/01/20 às 16h02 - Atualizado em 27/05/24 às 16h25

Hipopótamo

COMPARTILHAR

Hipopótamo (Hippopotamus amphibius)

 

TAXONOMIA
Classe Mammalia
Ordem Cetartiodactyla
Família Hippopotamidae

 

 

Nomes no Zoo: Chumbinha, Bárbara, Catarina e Iully.

 

Histórico: 

Chumbinha – A hipopótamo fêmea, Chumbinha, nascida em 1997, foi transferida do Zoológico de Goiânia para o Zoológico de Brasília em 1999 para contribuir com a reprodução e conservação da espécie.

 

Bárbara – Chegou ao Zoológico de Brasília em 15 de outubro de 1983, aos oito meses de idade, vinda do Zoológico de Sorocaba em São Paulo, através de uma troca entre as Fundações.

 

Catarina – Nasceu em 30 de setembro de 2003 e foi adquirida pelo Zoológico de Brasília em 5 de outubro de 2019, vinda da Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, com o objetivo de contribuir para a reprodução e preservação da espécie.

 

Iully – Resgatada de um circo itinerante por decisão judicial, Iully chegou ao Zoológico de Brasília com algumas cicatrizes. A fêmea é bem menor do que as outras de sua espécie, por ter crescido dentro de um tanque bem pequeno no circo e não ter conseguido desenvolver a sua musculatura. Agora, Iully tem uma vida confortável, mas vive em um recinto separado de Catarina, Bárbara e Chumbinha.

                                                                            

Características: O corpo mede entre 209 e 505 cm de comprimento e de 1,5 a 1,65m de altura, podendo pesar entre 1,5 e 4,5 toneladas. Os machos são mais pesados e maiores do que as fêmeas. A coloração da pele desta espécie varia entre o cinza e ardósia roxo, sendo que em volta dos olhos a cor é do rosa ao castanho. Seu corpo é coberto por uma quantidade escassa de cabelos finos, com exceção de cerdas grossas, como as localizadas em sua cabeça e cauda. Sua epiderme é extremamente fina e sensível.

 

Distribuição Geográfica: Endêmico da África, encontrados na Angola, Benin, norte do Botswana, Burkina Faso, Burundi, Camarões, República Centro Africana, sul do Chade, Costa do Marfim, no norte da Eritréia, Etiópia, Guiné Equatorial, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Quênia, Libéria.

Habitat: São mamíferos semi-aquáticos, habitam lagos rasos, rios e pântanos.

 

Alimentação: Herbívoro.

 

Reprodução: Gestação de 235 dias, nascendo 1 filhote.

 

Expectativa de Vida em Cativeiro: 50 anos.

 

Status de Conservação (IUCN): Vulnerável.

 

Curiosidades: São animais muito sociáveis, que vivem em grupos que podem chegar a ter 100 indivíduos. Eles levam uma vida sedentária, descansando a maior parte do dia, saindo no período crepuscular apenas para se alimentar. Por não possuírem glândulas sudoríparas e sua pele ser muito fina e sensível ao sol, possuem glândulas que secretam uma camada oleosa espessa de fluido pigmentado vermelho. Durante anos, se pensou que este fluido era uma mistura de sangue e suor. A dominância é estabelecida entre os machos em forma de boca bem aberta, rugidos e banhos de estrume. Os machos adultos dominantes são intolerantes aos jovens que tentam desafiá-los.

 

Plantel do Zoológico
Machos Fêmeas Indeterminado
1 3 0

 

* Com informações de: IUCN, ICMBio e Ministério do Meio Ambiente.

ZOO - Governo do Distrito Federal

Fundação Jardim Zoológico de Brasília

Fundação Jardim Zoológico de Brasília Avenida das Nações, Via L4 Sul, s/n - Brasília, DF. CEP - 70610-100 Telefone: (61) 3445-7048
e-mail: atendimento@zoo.df.gov.br